quinta-feira, 24 de setembro de 2009

E Obama não gostou da minha idéia!



Segundo Obama, os países devem se ajudar e não "esperar que os EUA resolvam todos os problemas do mundo".

"Os que costumam repreender os Estados Unidos por atuar sozinho no mundo não podem agora ficar à margem e esperar que os Estados Unidos resolvam sozinhos os problemas mundiais", disse. "É tempo de que cada um de nós assuma sua responsabilidade na resposta global aos desafios mundiais."

ver na íntgra


Parece que o meu querido Obaminha, para quem fiz campanha e ainda deixo o link do site de mesma época, leu meu blog ontem e não gostou nada da idéia de ser babá das Américas.
Obama, meu caro e ilustre leitor (te acho um charme!), você está coberto de razão nas suas afirmações supracitadas, como é de costume. Mas é que daqui do alto da minha carioquisse, me coloquei numa preguiçosa situação de conforto e esperava uma deliciosa mamadeira no colo confortável do Tio San, enquanto víamos a guerra pela televisão...

Vou me emendar e parar de cobrar tanto assim de vocês. Eu prometo!

3 comentários:

Daniel disse...

HÁ!! IN THE MIDDLE OF YOUR FACE!! CHUPA QUE É DE UVA!

ana lívia disse...

in the butt!

*Mr. Tambourine* disse...

Há muito tempo atrás li uma coisa que carrego para o resto da vida:

"As palavras verdadeiras não são agradáveis e as agradáveis não são verdadeiras."

Por muito tempo fui contra a sua opinião, a saber, de uma "Cruzada" de "ocidentalização" das Américas. Hoje, depois de concluído o curso de Ciência Política e Sociologia, sou obrigado a concordar que sem a modernização e, consequente, "ocidentalização" da Amnérica do Sul imposta pelo EUA estaríamos pior que o Afeganistão.

Portanto, por mais desagradável tenha sido seu post para algumas pessoas, eu concordo em gênero, número e degrau (sic) que as instituições latino-americanas não são capazes de resolver conflitos de forma democrática e que uma intervenção americana - ou alemã, inglesa, francesa, etc - é necessária para alavancar o desenvolvimento político e social dos países em questão.

Tá certo, fui radical. Mas quem estudou história brasileira e sul-americana sabe o que o povo hondurenho tem pela frente: ditadura sangrenta, pobreza extrema, oligarquias políticas e pouca mobilidade social.


É isso ai, carioca.
Beijos, saudades.

ps: desculpe os erros de português do comentário. Estou vendo F1 e as últimas voltas estão sensacionais.
hahahahhahahahahahhaa