sexta-feira, 4 de maio de 2007

Mulher não tem caráter

- Alô, Eudóxia. Espera aí. Eu disse "espera aí". D. Noêmia, quer sair um instantinho?
ela sai. Sabino fala:
- Eudóxia, passei duas horas ligando pra aí. Ocupado, ocupado, que diabo!
- O telefone que não pára. Não parou o dia todo. Mas conta, conta. O que é que o Dr. Camarinha foi dizer? O que é que ele queria?
Ela baixa a voz:
É gravidez? Responde. É?
Era demais:
- Eudóxia, toma juízo! Que é que você tem na cabeça? Você sabe o que eu acho, sinceramente, palavra de honra, que a mulher é mais pornográfica que o homem?
Insistia:
- Quer dizer que não é? Era isso que eu queria saber.
O outro limpa o pigarro:
-Olha, eu vou dar uma passadinha no Monsenhor Bernardo.
Não diria à mulher nenhuma palavra do que ouvira do Dr. Camarinha. Se ela sabe, põe a boca no mundo na mesma hora. Mulher nenhuma guarda segredo. Conta às amigas, às vizinhas, às criadas. Mulher não tem caráter.

O Casamento
Nelson Rodrigues

Mulher não tem caráter. Poderia esta ser uma verdade absoluta. Pois mulheres quando não estão mentindo, estão inventando ou repassando a invenção de outras.

Todo canalha é magro e nenhuma mulher tem caráter.

Nelson Rodrigues era mesmo um gênio.

Não é a toa que o primeiro relato de corrupção existente tem como protagonista uma mulher: Eva. Uma desocupada que ficava a passear pelo Éden, procurando sarna pra se coçar. Tanto procurou que achou. E seu castigo foi: "Seu desejo pertencerá somente ao teu marido, e este te governará." Mas, do alto da minha loucura me pego a pensar: Não seria o castigo dado a Eva um maior castigo para Adão?
Mulheres...
Tenho saudades da Grécia Clássica.

2 comentários:

Carlos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos disse...

Como o lado Adão da parada, vou enfiar o meu nariz onde não fui chamado e assegurar que não. Muito pior é não ter direitos ou poder de decisão. Lembre-se que a mulher que não se casava era geralmente estigmatizada e acabava se incorporando a família do irmão mais velho, depois da morte dos pais. A "tia" solteirona que ninguém quis.
Hoje está melhor, mas na época em que isso foi escrito (a Torá), a uns cinco mil anos atrás, a vida toda se baseava em agrupamentos sociais (principalmente na família) e mulher sem família ou acabava se prostituindo (o que não era nada agradável ou rentável - esqueça a novela das oito) ou se tornando serva de alguém.
E eu não entendi a referência à Grécia Clássica. As gregas em geral também não tinham muito espaço para manobras, se é que você me entende. Isso só mudou com o desenvolvimento de Roma, que deu uma maior liberdade (inclusive com leis específicas) às mulheres.