segunda-feira, 28 de maio de 2007

Qualquer coisa



No início era o medo.
Em seguida, o encanto.
Desejo e incerteza se misturavam como sal e açúcar, de maneira a não se deixarem distinguir nem pelos próprios que os sentiam.
Por fim houve a entrega, o amor, o encanto que se renova e cresce a cada dia.
Se antes não sabiam nada, agora menos. O que era incerteza virou fato consumado.

3 comentários:

Carlos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos disse...

Lindinho isso... Parabéns... À autora e ao alvo de tão bela seta...

Ana Luiza Paes Araújo disse...

estou me esmerando...
Obrigadinha pelo elogio!!