domingo, 3 de junho de 2007

Servidão





Sete anos de pastor Jacó servia

Labão, pai de Raquel serrana bela,

Mas não servia ao pai, servia a ela,

Que a ela só por prêmio pertendia.



Os dias na esperança de um só dia

Passava, contentando-se com vê-la:

Porém o pai usando de cautela,

Em lugar de Raquel lhe deu a Lia.



Vendo o triste pastor que com enganos

Assim lhe era negada a sua pastora,

Como se a não tivera merecida,



Começou a servir outros sete anos,

Dizendo: Mais servira, se não fora

Para tão longo amor tão curta a vida.


Luis de Camões

Quem sou eu pra escrever qualquer coisa, depois de um poema de Camões?

2 comentários:

Carlos disse...

Ainda bem que o Lavan (Labão) não conhecia o tal poeta caolho português e essa sua teoria do longo amor e vida curta.
Ou ia fazer o pobre do Yaakov servir uns setenta anos em vez de sete...

Ana Luiza Paes Araújo disse...

huahauhau
insensível!