segunda-feira, 2 de julho de 2007

Butterfly



"Spread your wings and prepare to fly
For you have become a butterfly
Fly abandonedly into the sun"
Butterfly

Quão maravilhosa seria a vida se, sem responsabilidades, tomássemos posse da benção que se chama ignorância. Quão felizes seriam os homens se conseguissem viver plenamente a felicidade, que nada mais é que um curto e fugas estado de espírito, sem se “pré-ocuparem” com as desgraças do por vir.
Seria como viver num mundo encantado, onde pudéssemos correr atrás de lindas borboletas, nos sentindo tão leves e livres quanto elas. Neste mundo a gravidade não existe, nem o juízo, nem a culpa, nem a dor. Por isso, ele só existe no plano das idéias, na minha imaginação.
As belas borboletas são reais e, apesar da sua beleza nobre, se fazem presentes em qualquer casa onde exista um jardim por mais humilde que seja. Esses dias mesmo, numa situação muito adversa, desliguei-me do mundo ao me deparar com uma belíssima borboleta azul e preta. Parecia que nada mais existia, só ela, ali, graciosa...
Não entendo bem esta minha fixação por borboletas, talvez algum bom psicanalista possa me explicar, se um dia eu procurar algum...

11 comentários:

Carlos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos disse...

Seria como viver num mundo encantado, onde pudéssemos correr atrás de lindas borboletas, nos sentindo tão leves e livres quanto elas.
Não entendo bem esta minha fixação por borboletas, talvez algum bom psicanalista possa me explicar, se um dia eu procurar algum...

Você é gay... é a única resposta plausível. Correndo atrás de lindas borboletas... Onde já se viu...
Agora entendi a sua homofobia. É uma tentativa de enganar a si mesma. Mas não tem jeito, pequena herege. Você é gay... só pode ser.
E agora falando sério. Li a sua contestação as minhas afirmações contra o messianismo e origem divina de um daqueles seus deuses. Aquele que vocês representam barbadinho e com aquela cara de... bom, deixa para lá... digamos que ele tem (nas representações) uma cara nada parecida com a de um carpinteiro judeu de dois mil anos atrás... parece mais uma menina barbada (na maioria das representações). Fiquei com vontade de refutar, mas achei que você não ia voltar a ler um post tão antigo e não estou a fim de gastar o meu ivrit (hebraico) à toa. Mas, se você estiver interessada, eu mando uma resposta para o seu endereço no g-mail. Por favor, diga que sim, e faça feliz um judeu ortodoxo. Afinal, ainda não perdi todas as esperanças de encaminhá-la para o caminho da verdade e da vida.
E têm os meus primos lá em Gaza que precisam de uma esposa...

Carlos disse...

E Mariah Carey ninguém merece...
Além de gay, você é brega...

Ana Luiza Paes Araújo disse...

tudo isso por que? ta zangado tio mac?

Ana Luiza Paes Araújo disse...

Manda a resposta pro meu e-mail, pode mandar. Só não prometo ajudar ninguém em gaza.
Quanto às representações, isso é coisa dos católicos renascentistas. Protestantes não adoram imagens...
manda a resposta.

Carlos disse...

Tô zangado não. Só esfomeado.
Hoje é 17 de Tamuz, dia de jejum. Sem comida e sem água até o por-do-sol, por causa do idiota do Nabucodonossor que destruiu as muralhas de Jerusalém em um dia 17 de Tamuz.
Me desculpe se pareci zangado. Ou se ofendi você, sem querer. Era só brincadeira.
Mas que a Mariah Carey é brega, lá isso é...

Carlos disse...

E esse negócio de borboleta é meio boiola...

Ana Luiza Paes Araújo disse...

não ofendeu não, o texto tá uma bosta mesmo!
não consigo produzir nada com qualidade faz tempo!
Mas quanto ao jejum, tem uma hora no novo testamento que, se não me engano, Paulo dá lá instruções sobre os jejuns. e uam deles é: Ao jejuares não façais como os fariseus, mas que seu semblante não aprente fome ou desânimo.
hahahahaha
Eu sei que vc não vai com a cara de Paulo, mas lembrei imediatamente. só não sei a referência, sou péssiam com referências.
Ah! eu estou com algumas dúvidas sobre o Sheol (é assim que se escreve?). qual é o esquema lá? Aproveita e me manda por e-mail junto com a sua reposta aos outro comentário. Tô esperando.

Priscilla Santos disse...

interrompendo certo interlúdio...

1.e as borboletas também estão na casa de pessoas, só que recortadas em formatos de barquinhos, bonequinhas e toda outra sorte de formato que tal artesanato pode alcançar... lástima.

2.esse mundo onde vc quer viver me lembrou algo meio Trainspotting: motivos? quem precisa de motivos quando se tem heroína?. espero que vc não seja adicta.

3.putz...mariah não... hahahahahaha

Ana Luiza Paes Araújo disse...

Ta bom ta bom! Nada de MAriah! eu me rendo!!
e eu não sou viciada! Isto é o efeito do alto índice de ausência de componetes tóxicos e químicos no meu sangue.

Priscilla Santos disse...

mas eu não te chamei de viciada... te chamei de adicta. tecnicamente a palavra é a mesma, mas têm usos diferentes: adcção é, além do vício, uma tendência biológica ao vício. justamente... talvez haja uma necessidade sua de escapismo. bom, não precisa ser necessariamente pelo uso de drogas, é verdade. seria igualmente triste você virar vizinha do Zé indo morar naquele hospício lá em St. Teresa, esquizofrênica.
Esqueça essa terra mágica, essa terra sem males (nessa Terra aqui pelo menos)... esqueça as borboletas (a menos que seja pra salvá-las de virarem souvenires sul-africanos). E, principalmente, esqueça a Mariah antes de Mimi. tudo bem...continua queimando o filme, mas menos.