terça-feira, 3 de julho de 2007

Parece atual?


"Sobre este corpo anêmico, atrofiado, balofo, tripudiam os políticos. É
a única questão vital para o país - a questão política. Feliz ou
infelizmente, não há outro problema premente a resolver: nem social,
nem religioso, nem internacional, nem de raças, nem de graves casoseconômicos e finaceiros. Somente a questão política, que é a questão dos homens públicos. Há-os de todo o gênero: os inteligentes, os sagazes, os estúpidos, os bem-intencionados (dantesca multidão), os que a sorte protege como nas loterias, os efêmeros, os eternos. É o grande rebanho que passa, de que falava Nietzche. De vez em quando surge uma individualidade, ou nascente ou já sacrificada pela incomensurável maioria: os nomes dessas exceções, de raros, acodem logo ao bico da pena, mas de fato e desde muito,
estão desaparecendo rapidamente os que possuíam, na expressão dos
historiadores românticos, "o magnetismo da personalidade" ".
Retrato do Brasil.
Paulo Prado. Década de 1920.

Imagem: www.gettyimages.com

4 comentários:

Carlos disse...

Infelizmente, tudo continua como sempre, sem força e sem direção. E a culpa principal é nossa e da nossa atuação pífia enquanto cidadãos.
As coisas só mudam se quisermos mudá-las, mas será que queremos mesmo? E se queremos, por que nunca as mudamos? Será que não somos como os papais e mamães dos facínoras que espancaram aquela senhora na Barra, e que se justificam dizendo que não podem controlar o que os filhos fazem fora de casa e que não é justo manter presos rapazes tão bons, que trabalham, estudam e eventualmente espancam uma mulher ou outra?
Se os políticos são os nossos representantes, como não conseguimos controlá-los? Como elegemos eleição após eleição os mesmos senhores? Alguém duvida que na próxima eleição o senhor Renan vai continuar no senado?
E não trouxemos de volta a vida política o senhor Collor de Melo?
De quem é a maior culpa? Deles ou nossa?
PS: vou responder àquelas outras questões e sobre o Sheol diretamente para o seu endereço no g-mail, mas só amanhã ou depois, agora estou sem tempo, está bem?

Beijocas do seu tio faminto, sedento e sorridente (como queria o apóstolo Paulo).

Priscilla Santos disse...

sou fã do Paulo Prado...sou suspeita. vou ficar com a ilustração: é a primeira vez que vejo o desenho onde tem um porquinho comendo e ele não está comendo dinheiro. a dieta mudou pra melhor...ainda bem.

lembrete: STOP MURDER
SAVE THINKIN' ANIMALS

Priscilla Santos disse...

pior que agora me deu fome... olha só a carinha dele de contentamento(!) não consigo ficar indiferente.

Ana Luiza Paes Araújo disse...

hahahahah
só tu Pris! Eu tb sou contra porcos comendo dinheiro, ou comparações de capitalistas com porcos sem escrúpulos e famintos. palhaçada!!