sábado, 14 de julho de 2007

História do meu primeiro porre


Nunca beba com um sociopata!
Era uma casa estranha e, pra variar, eu era a mais sóbria. Resolvi que tinha muitas mágoas e precisava esquecê-las. Vi a garrafa de um vinho caro que tinha levado para dar de presente ao anfitrião, mas pensei: ele não a merece, já está bêbado com cerveja, vou te beber sozinha. Fui até a garrafa, peguei também uma taça. Era um vinho branco suave, tão doce que parecia incapaz de embebedar qualquer um, até mesmo eu, e de fato o era não fosse a má companhia que escolhi. Me dei conta que de frente para mim estava ele, de perfil, sorrindo, lindo, com aquela cara bonita de todo cafajeste. Não resisti, decidida a deixar as nossas diferenças de lado, chamei-o para beber comigo e ele aceitou. Foi assim que cheguei ao meu primeiro porre, não por causa do vinho, não foi aquela maravilhosa e doce bebida de uva que embriagou, foi a companhia dele, Che Guevara. O pior companheiro de copo que uma pessoa pode escolher, ainda que ele se faça presente somente na forma de um calendário cubano.

Imagem: gettyimages

2 comentários:

Priscilla Santos disse...

o que aconteceu??
beba sempre! está te fazendo um bem enorme!! me permite ser arrogante?
não.. ah... então não falo que a sua escrita avançou absurdos. não..não a escrita, a tradução do que tá aí dentro. vai..continua!

Ana Luiza Paes Araújo disse...

que lindo!!! adorei, Pris. Vindo de vc é sempre uma honra.